Reservas
Escolha um dos hóteis na lista.
    Escolha a data de chegada ao hótel.
    Escolha a dara de partida do hótel.
    Escolha o número de quartos que pretende.
    Indique o número de adultos.
    Se tiver um código promocional, por favor insira-o aqui.
    Reservar
    A temperatura actual é   e a hora local é 11:29

    Monumentos a visitar em Lisboa

    Mãe d’Água

    A cinco minutos a pé do hotel, a A Mãe D'Água das Amoreiras foi concebida como reservatório de água da cidade velha. O interior é composto por uma sala de mármore enorme quadrada com colunas centrais e uma piscina também enorme com água clara e transparente.
    Mais info.

    Mosteiro dos Jerónimos

    A construção deste mosteiro do século XVI começou no reinado de D. Manuel I para comemorar a descoberta do caminho marítimo para a Índia. Foi terminado no reinado de D. João III (1502-1557). É um dos mais importantes edifícios em Portugal e foi classificado pela UNESCO como Património Cultural Mundial.
    Mais info em: Mosteiro dos Jerónimos e IGESPAR

    Castelo de São Jorge e Centro de Interpretação de Lisboa - Olisipónia

    O Castelo é uma memória viva de eventos que têm definido a História de Portugal, passando pelas mãos dos Romanos, Suevos, Visigodos e Muçulmanos. Foi reconstruído em meados de 1940 e foi recentemente renovado. Do castelo, pode visitar os bairros medievais de Alfama e Mouraria.
    Mais info.

    Sé – Catedral de Lisboa

    A Catedral de Lisboa foi construída no local de uma antiga mesquita que foi arrasada depois da conquista da cidade de Lisboa aos árabes por D. Afonso Henriques. A Sé foi edificada pelo primeiro Rei de Portugal, D. Afonso Henriques (1109-1185). Os três terramotos que a devastaram no século XV, bem como o de 1755, foram bastante inclementes para com a Matriz de Lisboa, dedicada a Santa Maria Maior, que sofreu danos e foi sendo renovada ao longo dos séculos.
    Mais info.

    Torre de Belém

    A Torre de Belém foi construída para tentar defender o estuário do Tejo. O Rei D. João II (1455-1495) pretendia expulsar navios hostis do rio, mas foi apenas o seu sucessor, D. Manuel I (1469-1521), quem conseguiu construir a Torre. Com traços notáveis de influência moura, foi desenhada pelo arquitecto e escultor Francisco Arruda. É considerada pela UNESCO como Património Cultural Mundial.
    Mais info.

    Panteão Nacional

    O Panteão Nacional, situado na zona histórica de Santa Clara, ocupa o edifício originalmente destinado à igreja de Santa Engrácia, acolhendo os túmulos de grandes vultos da história portuguesa. Fundado na 2ª metade do século XVI, o edifício foi totalmente reconstruído em finais de Seiscentos pelo arquitecto João Antunes; embora nunca chegasse a abrir ao culto, conserva, sob a cúpula moderna, o espaço majestoso da nave, animada pela decoração de mármores coloridos, característica da arquitectura barroca portuguesa. Elemento referencial no perfil da cidade e oferecendo pontos de vista privilegiados sobre a zona histórica da cidade e sobre o rio Tejo, está classificado como Monumento Nacional.
    Mais info.

    Palácio da Ajuda

    Foi o último Palácio Real construído em Portugal no século XIX, após o tremor de terra ter destruído o antigo palácio. Foi residência da Família Real Portuguesa.
    Mais info.

    Palácio Nacional de Queluz

    Concebido como um Palácio de Verão, ao estilo de Versailles, situa-se nos arredores de Lisboa, com belíssimos jardins, fontes e estátuas.
    Mais info.

    ... e em Sintra

    Capital do Romantismo e Património Cultural Mundial desde 1995, Sintra sempre atraiu reis e aristocratas que construíram palácios encantadores nesta vila. Pelo menos cinco grandes palácios e conventos estão escondidos e espalhados entre a luxuriante vegetação.
    Mais info.

    Os mais importantes são:

    Palácio Nacional da Pena

    Um Palácio de conto de fadas do século XIX, construído por Ferdinand Saxe-Coburg-Gotha, consorte da rainha D. Maria II.
    Mais info.

    Palácio Nacional e Vila de Sintra

    Com fundação árabe, o Palácio de Sintra torna-se, a partir do século XII e por cerca de oito séculos, residência da Família Real Portuguesa. Património Mundial da Unesco e único sobrevivente dos “Paços Reais” da Idade Média, este antigo palácio real é uma cativante mistura de arquitectura Mudéjar, Manuelina, Gótica e Renascentista.
    Mais info.